Do passado, só nos interessa aquilo que chegou ao presente.

Aqui na terra, não há justos nem justiça — apenas ajustamentos.

A quem teme os astros resta-lhe os pés na terra.

O problema com as pessoas inseguras é que tentam segurar-se de qualquer maneira.

Todo o desassossego é salutar até ao momento em que nos tira o sono.

Se as pessoas só falassem do que realmente sabem, a maioria estaria calada o tempo todo.

Uma máxima deve ser reduzida à mínima.

A presença de um Amor sente-se entre duas ausências sem sentido de ausência.

Não há cultura mais rica do que a cultura da terra.

Não há paz e sossego sem confronto e conflito.

A manifestação do gosto das massas será sempre uma manifestação de ausência de gosto.

No Verão, o bronze vale mais do que a prata e o ouro juntos.

De que adianta o esforço de mudança sem sabermos sequer quem somos?

O sonho destrói a vida, da mesma forma que o romance destrói o amor.

Uma pessoa de baixo nível terá sempre nível baixo por muito que aspire o ar de todos os do alto.

Se, no percurso que fazemos na nossa vida, não caminhamos em direcção à pureza, é porque nos perdemos algures.

Quem não sabe o que quer, devia ficar quieto até saber.

Quando se sabe o que se quer, não se perde tempo com rodeios.

Não faz sentido falar de ausência, quando a presença nunca se fez sentir!

As pessoas boas, dedicadas e competentes, nunca nos complicam a vida ou nos atrasam o andamento. São só os medíocres, mesquinhos e perversos, que nos atrapalham os passos e nos fazem a vida negra.

As mentes simples e lineares são pouco mais que vazias.
São as outras que nos atraem, fazem ficar e voltar.

Quem não tem o brilho do Sol, devia, pelo menos, brilhar como a Lua.

Quando nos tornamos bons, fazemos invariavelmente uma de duas coisas:
1) Passamos a servir os outros
2) Passamos a servir-nos dos outros

O mundo só espera por aqueles que o fazem girar.

As pessoas ligam tanto mais ao status e às aparências quanto mais vulgares e insignificantes forem.

A verdade não tem uma só face. Nem duas apenas, como a moeda.
É um poliedro de faces múltiplas com formas diversas e matizes variadas.

No perfil que construímos, no auto-retrato que fazemos, revelamos, sem dar conta, muito mais do que pretendemos e desejamos.

Enquanto as pessoas, dia após dia, continuarem a contemplar o Sol como se fosse este a rolar à volta da Terra, continuarão a ser enroladas, diariamente, sem contemplação!

Podemos, em qualquer momento da nossa vida, pôr cobro a tudo o que somos e dar início a uma nova vida, sem as marcas de um passado meramente circunstancial.

A ideia de que somos vítimas das circunstâncias é uma mera aparência.
Somos nós quem circunstancia o que somos!

Um solitário está sempre bem acompanhado!

Só os preceitos da nossa sobrevivência nos poderão condicionar!

As pessoas só não são livres porque se deixam aprisionar!

A moeda que tem uma só face não vale nada!

Quanto mais desligadas as pessoas são, tanto mais ligadas estão!

Só se sente em desespero quem da vida sabe pouco!

É avisado não julgar um livro pela capa, mas não falta quem não queira ser julgado de outra maneira.

Não tenho por hábito apagar pessoas da minha vida,
mas também não costumo ter alguém apagado nela!

Nunca nos devemos envolver intimamente com alguém que não possamos apresentar, sem constrangimentos, aos nossos melhores amigos.

No futuro, tudo será gasoso.

Este dom que algumas pessoas têm em nos iludir permanentemente com histórias manipuladas, plenas de fé e esperança, devia levá-las ao cinema ou à literatura e não ao governo da nação!

Na escola, como em casa, para educar devidamente, bastam duas coisas em simultâneo:
Amor e Disciplina!

Os que ainda se preocupam com o supérfluo e o acessório, é porque nada têm de essencial ou substancial com que se ocupar!

Tal como no expoente de Lyapunov, o que está na base da destruição de uma relação é a evolução diferenciada de cada um.
À semelhança de dois carris ligeiramente afastados no início, também as pessoas numa relação evoluem diferenciadamente até ao ponto de afastamento absoluto. Raramente as pessoas evoluem da mesma maneira e no mesmo sentido.
É por isso que o Grande Amor, na maioria dos casos, só aparece quando atingimos uma idade avançada.

Porque
da Amizade sabemos tudo
e do Amor sabemos nada,
aceito a traição no Amor,
mas nunca na Amizade!

O máximo que a maioria das pessoas aspira para a sua vida é vê-la resolvida!
Arranjar emprego, ter um grupo de amigos, casar, comprar uma casa, ter 2 filhos, 1 automóvel e já está!
Tudo o mais é só chatice e confusão!
Emoções fortes, risco, aventura, só mesmo na TV!

Quem não enfrenta a vida com uma resolução, tem de arranjar uma solução:
drogue-se, aliene-se, isole-se, marginalize-se, suicide-se, beatize-se, resigne-se, enriqueça, faça o que quiser, mas terá sempre de encontrar uma solução de vida!

É por temerem o futuro que as pessoas não vivem o presente!

O que há de mais avançado no tempo é o que fazemos exactamente agora!
Não há rigorosamente nada a acontecer no futuro!
Porquê temê-lo, então?!

Vendo tudo o que é meu, para não ter que me vender eu!

Aquele que vislumbra o potencial de beleza de um bloco de carvão, vê a verdadeira beleza que um diamante contém!

A primeira impressão que temos de alguém é invariavelmente aquela que subsiste no final, por muitas voltas que as impressões dêem entretanto.

Não podemos acusar os outros de nos terem desiludido.
A ilusão é um acto da nossa única e inteira responsabilidade!

Visionário é aquele que consegue ver bem longe, sem perder de vista o que está à frente dos olhos.

Quem não sabe onde pôr os pés, dificilmente saberá onde pôr as mãos!

Não há máscara que não caia, nem verniz que não quebre!

A resolução dos nossos sonhos é em tudo parecida com a Justiça:
lenta, complexa e quase sempre decepcionante!

Uma revolução só acontece para que tudo retorne à evolução natural.

Conheço poucos dispostos a trocar:

Um emprego seguro por uma empresa sua;
Uma vida de casado por uma paixão de rua;
Uma mentira conveniente pela verdade crua!

Na nossa vida:

Uma coisa é o que queremos ser;
Outra é o que acabamos sendo!

Só quando nos despojamos do que temos, podemos saber quem somos.

Se abdicassemos de tudo o que possuimos, ou seja, daquilo que nos faz sentir sermos alguma coisa, começando pela casa e pelo carro e prosseguindo por todo o tipo de bens caracterizadores do status que ostentamos (TVs, hi-fis, relógios, roupas de marca), se conseguissemos atingir tal grau de abnegação, como nos sentiríamos?

Nos dias que correm, não serão poucos os que se sentirão reduzidos a um absoluto vazio!

Mais um Blog, porquê?

Porque importa a opinião de cada um e importa cada um ter opinião!
Porque só com a partilha de ideias, saberes e experiências o mundo pode avançar.
E porque já basta de vozes mudas, olhares cegos, ouvidos surdos e movimentos quedos!